Fim de Vida

  1. O crescimento do seu produto desacelerou, e você fez todas as análises e testes descritos no capítulo anterior para ter certeza de que ele, de fato, chegou à fase da maturidade.
  2. Ou,então,vocêlançouoseuprodutoenãoestáconseguindo cruzar o abismo que existe no fim da inovação, a primeira fase do ciclo de vida de seu produto de software.
  3. Ou ainda, você optou por uma maturidade programada, planejando o fim de vida da versão atual de seu produto de software em função de uma nova, que foi desenvolvida e lançada.

Fim de Vida por Maturidade não Programada

Esse é o pior dos casos pois, além de não planejado — como é o caso do fim de vida após a maturidade programada –, é uma situação difícil de identificar. Antes de decretar que é o fim de vida do produto, é preciso ter certeza de que isso não é só temporário. O mais comum nesses casos é deixar o produto dormente por um tempo.

  1. Definir a data de fim de vendas e executar;
  2. Verificar se há um substituto no portfólio de produtos da empresa ou no mercado;
  3. Se houver substituto, definir como um cliente poderá migrar para este substituto;
  4. Preparar a comunicação com os clientes, definindo prazos para o fim do produto;
  5. Testar essa comunicação com um grupo pequeno de clientes para avaliar impacto e fazer os ajustes necessários;
  6. Executar a comunicação com toda a base de clientes;
  7. Acompanhar e agir pontualmente, quando necessário.

Fim de Vida por não Cruzar o Abismo

Se seu produto entrar no fim de vida por não cruzar o abismo, apesar de essa não ser uma situação desejada pelo time de desenvolvimento, é uma situação importante que precisa ser identificada rapidamente, e o gestor de produtos tem papel fundamental para detectar isso.

Fim de Vida por Maturidade Programada

Essa é a melhor das três opções para o dono do software, mas é a que dará mais trabalho para o gestor do produto. No caso de software instalado, isso acontece quando novas versões são lançadas. Para software online, isso ocorre quando o time de desenvolvimento opta por reescrever o produto por algum motivo, e decide lançar uma nova versão. Essa decisão por reescrever um produto online deve ser muito bem pensada, pois o tempo gasto em reescrever seu produto é tempo não utilizado em sua evolução do ponto de vista de quem o usa.

Concluindo

Vimos em detalhes nos capítulos anteriores todo o ciclo de vida de um produto de software, passando por todas as suas fases: a inovação, o crescimento, a maturidade — que pode ser programada ou não –, e o fim de vida — que pode vir após a maturidade ou quando o produto não cruza o abismo que separa a fase da inovação da fase do crescimento.

Mentoria de líderes de produto

Tenho ajudado líderes de produto (CPOs, heads de produtos, CTOs, CEOs, tech founders, heads de transformação digital) a extrair mais valor e resultados de seus produtos digitais. Veja aqui como posso ajudar você e a sua empresa.

Gestão de produtos digitais

Este artigo é mais um capítulo do meu livro Gestão de produtos: Como aumentar as chances de sucesso do seu software, onde falo sobre o que é gestão de produtos digitais, seu ciclo de vida, que ferramentas utilizar para aumentar suas chances de sucesso. Você também pode se interessar pelos meus outros dois livros:

--

--

Digital product development advisor, coach, and board member. Also an open water swimmer and ukulelist.

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Joca Torres

Joca Torres

Digital product development advisor, coach, and board member. Also an open water swimmer and ukulelist.